Nova variante do coronavírus impacta bolsas globais

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Mesmo com a tensão provocada pela segunda onda do coronavírus, a aprovação das vacinas levou o Ibovespa a encerrar a semana com alta de 2,5% em 118.023 pontos.

Embora estejamos diante de notícias otimistas como o novo pacote de estímulos e a aprovação de uma nova vacina nos Estados Unidos, os investidores estão atentos ao contágio de uma nova variante do coronavírus no Reino Unido, o que consequentemente está fazendo com que voos britânicos sejam barrados por outros países como França, Alemanha, Irlanda, Holanda, Canadá e Israel. A OMS divulgou que a mutação já foi encontrada em Holanda, Dinamarca e Austrália.

O Dólar encerrou a semana subindo de 0,5% em comparação ao Real, em R$ 5,08.

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson, afirmou no sábado (19/12) que conforme a análise inicial dos cientistas a nova cepa do coronavírus pode ser até 70% mais transmissível. Por esta razão as restrições não serão amenas durante o Natal, e o encontro entre membros de mais de um lar deverão ser suspensos.

Ontem (20/12) o recorde de contaminações do Reino Unido foi ultrapassado. Foram diagnosticados 35.928 novos casos, superando o registro feito na primeira onda, onde a quantidade não foi maior que 5.500 novos casos.

A divulgação da disseminação do Covid dificulta um novo acordo comercial entre União Europeia e Reino Unido. O acordo atual vencerá em 31/12, e as partes não têm conseguido obter avanço, principalmente no que se refere a temas como pesca.

Sexta-feira (18/12), a vacina desenvolvida pela Moderna para uso emergencial foi aprovada pelos órgãos reguladores nos Estados Unidos. Desta forma o produto poderá ser aplicado nos cidadãos norte-americanos, assim como o imunizante criado pela Pfizer e BioNTech.

Após meses de negociação, ontem (20/12) o acordo sobre o pacote de estímulos foi aprovado. O auxílio federal será destinado aos pequenos negócios, sistemas de saúde e famílias. Mais de 900 bilhões de dólares serão empregados para aquecer a economia norte-americana. O benefício será no valor de 600 dólares à maioria dos adultos e crianças.

284 bilhões de dólares serão disponibilizados para proteção de salários e empréstimos para pequenos negócios.

Em paralelo, o Congresso também aprovou 2 trilhões de dólares para o período até 30 de setembro. Ainda não houve a divulgação do texto da lei orçamentária, mas a aprovação faz com que seja impedida a condição de apenas serviços essenciais estarem funcionando.

Esta semana será menor devido ao feriado de 25 de dezembro, mas teremos como principais destaques de nossa agenda econômica o IPCA-15 de dezembro (22/12), que deverá trazer a aceleração de preços e a nota de crédito do Banco Central referente a novembro.

No cenário global, a ata da decisão de política monetária da Colômbia e do Chile e os indicadores de confiança das economias predominantes serão as principais divulgações.

Não deixe de acompanhar o Café Econômico em nosso canal do YouTube para se manter atualizado durante a semana. De segunda a sexta às 8h20 da manhã.

Bons negócios e conte conosco nos investimentos!